Cuidado da pele

Verificação da pele quanto a fatores de risco

É importante procurar fatores que podem resultar em problemas para a pele como, por exemplo, Lesão por pressão.

Esses fatores de risco estão listados abaixo.

Fatores de risco

  • Pressão
  • Cisalhamento/fricção
  • Excesso de umidade
  • Ressecamento
  • Nutrição

A pele que permanece sob pressão poderá desenvolver lesões em menos de duas horas. Particularmente, um osso que pressiona a pele (proeminência óssea) tem mais probabilidade de causar uma lesão. A pressão contínua em algumas partes moles do corpo (tecido) também pode levar ao desenvolvimento de uma lesão por pressão.1

O cisalhamento e a fricção contribuem para a formação de lesão por pressão.2, 3

O cisalhamento é o resultado de um tecido puxado pela gravidade em uma direção enquanto a fricção mantém a pele parada ou a empurra em outra direção.3

O cisalhamento quase sempre ocorre quando a parte superior do leito está na posição vertical. A fricção poderá ser causada quando a pele é arrastada em uma superfície áspera como as roupas de cama.2

Uma umidade excessiva na pele poderá ser o resultado da incontinência (de urina ou de fezes). Também pode ser proveniente do exsudato da ferida e do suor.2, 4 Embora essa umidade na pele não cause lesão por pressão de modo direto, ela amolece (macera) a pele, tornando-a muito mais fácil de lesionar devido à fricção ou ao cisalhamento.2

Quando a pele perde sua umidade, ela fica seca, escamosa e menos flexível. Há mais chances de aparecerem lesão por pressão em uma pele desidratada. 2

Uma má nutrição poderá contribuir para o desenvolvimento de lesão por pressão. 2 Certificar-se que os pacientes seguem uma dieta adequada poderá ajudar a preveni-las.

Outras fontes

Além dos fatores listados acima, há outros que podem colocar um paciente em risco de desenvolver lesão por pressão.5 Alguns deles podem ser determinados pelo uso de escalas especiais. As escalas usadas com mais frequência pelos profissionais de saúde são as chamadas escalas Braden e Norton. As escalas Braden e Norton também podem identificar fatores de risco como a capacidade de um paciente se mover (mobilidade) ou de sentir dor (percepção sensorial), que também podem impactar o modo como as lesões se desenvolvem.6